quinta-feira, 6 de dezembro de 2007

Cafonice

No último sábado (isso mesmo, já faz quase uma semana), a coluna da Mônica Bergamo, da Folha, perguntou a alguns donos de clubes de SP como eles pretendem se adaptar à lei municipal que prevê a instalação de bebedouros em seus estabelecimentos em breve. A medida, como muitos sabem, visa evitar que os boçalóides que tomam 7 balas numa noite não fiquem estrebuchando no chão, como fez um carioca esperto outro dia antes de partir dessa pra melhor. Para mim tal medida não passa de uma imbecilidade sem tamanho, mas isso não é assunto pra hoje.

A coluna ouviu representantes do Vegas, Funhouse, The Week e por fim, Rodrigo Hidalgo, do descoladérrimo Glória. E o sujeito se saiu com essa:

"Olha, eu acho no mínimo exótico!" "ficou cafona tomar ecstasy hoje em dia. É uma droga dos anos 90, apesar de as apreensões estarem aparecendo. Talvez hoje [a moda] seja cocaína, não sei". Ele afirma que "na verdade, a noite de SP tá encaretando. Vira e mexe, a prefeitura fecha uma casa [o próprio Glória ficou fechado por três meses, para se adaptar a normas do município], tem batida policial. Isso tem coibido o uso de drogas".

Droga da moda???? Droga cafona???? Quer dizer então que se falarem pra esse cidadão que fumar crack é a última moda em Paris ele sai por aí com um cachimbinho a tiracolo pipando pedra????

E me perdoem se isso soar homofóbico, mas tenho mais uma dúvida. E se chegar no ouvido desse moderninho que liberar o fiofó ficou cafona????? Como é que esse cara vai se virar??????

Sem mais.

Um comentário:

Arturo Bandini disse...

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk…

p.s.: Esse post foi um LUXO, benhê!